procurar

Min Cardaes

BrincArte Sem Fronteiras

O teatro, na perspectiva social, é um lugar privilegiado para o estudo do conhecimento do indivíduo, porque, através das suas técnicas, procura-se conhecer o lado emotivo da pessoa. O trabalho a desenvolver consiste em experimentar, conhecer, descobrir, explorar, provocar emoções, fazer do corpo um instrumento, usando todas as possibilidades de comunicação que vão sendo descobertas.

O objectivo deste projeto afasta-se ligeiramente dos objectivos fundamentais que presidiram à fundação desta companhia alargando a área de atuação do TIL. O acolhimento de uma linha de trabalho na área sociocultural com vertente vincadamente voltada para a responsabilidade social é um desafio e uma mais-valia para a evolução do Teatro Infantil de Lisboa.

A ideia fundamental é a de proporcionar, ao coletivo de senhoras portadoras de deficiência, em regime de internato no Convento dos Cardais, atividades ligadas às artes performativas como instrumentos terapêuticos e lúdicos. 

O teatro, na perspectiva social, é um lugar privilegiado para o estudo do conhecimento do indivíduo, porque, através das suas técnicas, procura-se conhecer o lado emotivo da pessoa. O trabalho a desenvolver consiste em experimentar, conhecer, descobrir, explorar, provocar emoções, fazer do corpo um instrumento, usando todas as possibilidades de comunicação que vão sendo descobertas. Um espa-ço onde a criatividade e a invenção é possível. A criatividade não se ensina, estimula-se através da envolvência de todas as linguagens expressivas, permitindo ao indivíduo novas perspetivas acerca de si próprio e da forma de estar no mundo.

O TIL atua em duas áreas distintas de trabalho. Por um lado a Expressão Dramática e o Teatro e por outro a Expressão Corporal. A Expressão Dramática como atividade que antecede o Teatro assume, neste processo, um papel importante como facilitador da expressão e comunicação das intervenientes. Este processo culmina na criação teatral integrada, de forma a oferecer a possibilidade de concretização de um objetivo tangível. Assim as intervenientes participam do processo tendo sempre em vista um propósito final. Procura-se, pois, que as participantes se mantenham motivadas e focadas num móbil, de forma a manter a participação e o envolvimento nas atividades. Por outro lado, o movimento, como atividade que antecede a Expressão Corporal, permitirá às intervenientes olhar o seu corpo e a expressão dele de diferente forma, potenciando a auto-estima.