procurar

CALENDARIZAÇÃO

De 27 de abril a 18 de maio

Sessões escolares: Sextas às 11h

Sessões família: Sábados às 15h

 

Comprar BOL 

 

FICHA TÉCNICA

Cia Boto-Vermelho

Texto e adaptação: Roger Mello

Idealização, encenação, dramaturgia corporal, interpretação, direção de arte, cenografia, arquitetura de luz e direção de produção: Ricardo Schöpke

Direção sonora: Daniel Belquer e Carlos Eduardo Soares

Direção de vídeo: Daniel Belquer

Som cênico e programação: Alexandre Bräutigam

Figurino: Leo Thurler

Direção de movimento: Esther Weitzman e Sueli Guerra

Preparação corporal: Sueli Guerra

Preparação para vôo e rigger: Claudio Baltar

Direção de animação do corpo cênico: Marcio Nascimento

Criação do teatro de sombras: Marcelo Karagozwk

Criação do corpo cênico: Cleyton Diirr

Preparação acrobática na cama elástica: Roberto Silva

Operação de câmera e edição de vídeo: André Markwald

Fotos: Bruno Descaves 

Realização: Cia Boto-Vermelho

Produção executiva e administração em Portugal: Benita Prieto

 

ACOLHIMENTO

Promotor: TIL - Teatro Infantil de Lisboa

Local: Teatro Armando Cortez/ Casa do artista

João Por Um Fio

A partir do próximo dia 27 de abril até 18 de maio, o TIL recebe a peça infantil “João Por um Fio”, destinada a famílias e escolas, com a assinatura do encenador Ricardo Schöpke e texto de Roger Mello, da Cia Boto-Vermelho (Brasil).

JOÃO POR UM FIO

O espetáculo João Por Um Fio foi encenado pela Cia Boto-Vermelho no ano de 2011 no Centro Cultural Banco do Brasil do Rio de Janeiro, onde lotou todas as sessões em que se apresentou. O espetáculo recebeu excelentes críticas, onde foi considerado como um espetáculo diferente, e único, de todos aqueles que foram montados no Rio de Janeiro; e um dos melhores espetáculos infantojuvenis do Brasil. Na peça, o ator e encenador Ricardo Schöpke, interpreta 8 personagens, com recurso a  diversas multilinguagens. Para contar a história, Schöpke recorre ao teatro físico, dança contemporânea, acrobacia, cama elástica, projeções em vídeo-, teatro de sombras e manipulação de corpo. As frases são poéticas, assim como os gráficos, vermelho, preto e branco, que delicadamente reproduzem peças de renda de bilro - segundo uma técnica tradicional, trazida para o Brasil pelos portugueses e trabalhados por mulheres.   Schöpke tem uma carreira sólida no Brasil, Portugal, Alemanha e Uruguai, com vários projectos culturais.  O autor do texto, Roger Mello, é um escritor, ilustrador e dramaturgo premiado, tendo sido galardoardo com os prémios Coca-Cola de Teatro Infantil (Melhor Texto) no Brasil; Hans Christian Andersen 2014 (considerado o Prémio Nobel da Literatura Infantil e Juvenil) na Categoria Melhor Ilustrador do Mundo, sendo o primeiro artista da América Latina a receber o mesmo; e vários prémios da Fundação Nacional do Livro Infantil e Juvenil (Brasil), onde é considerado hors concours.

SINOPSE

A ação da peça desenrola-se numa noite de insónia, que se repete, a seguir, sempre, todas as noites, na hora de João dormir. À noite, depois de se deitar, os pensamentos correm soltos no seu mundo particular. João tem os sentidos mais apurados. Ele é diferente. João é órfão de um pescador e de uma rendeira. Um menino muito solitário e sonhador que passa a vida ligado a fios reais e imaginários. Todos os sons e imagens da sua vida são ouvidos e vistos, ininterruptamente, e misturam-se a vozes de crianças da sua escola, que o instigam, e buscam respostas para o seu jeito único de ser. Por conta disso ele sofre constantemente bullying. Entre fios da rede de pesca, fios de renda da sua mãe, fios dos seus sonhos e medos, ele recria aventuras com a sua avó Chola, uma cama e caixa mágica, um cubo de fios; onde vemos peixes, rios mal-assombrados e um gigante num terremoto. João é um menino que tem Síndrome de Asperger. Schöpke é o ator responsável pelo sensível desenvolvimento do papel desta doença investigada. 

Duração: 60 minutos | Classificação etária: M/3

 

SOBRE CIA BOTO-VERMELHO

A Cia Boto-Vermelho foi fundada em 1994 pelo ator teuto-ítalo-brasileiro Ricardo Schöpke e pelo ilustrador Roger Mello, após a bem sucedida montagem do espetáculo Uma História de Boto-Vermelho. Vinte e cinco anos se passaram e a companhia construiu uma das mais importantes carreiras culturais no Brasil, e fora dele, através de várias frentes de trabalho, em vários segmentos da arte: teatro, literatura, ilustração, cinema, jornalismo, crítica teatral, gestão cultural, entre outros. Juntos, Ricardo e Roger se consolidaram como expoentes, e referências artísticas, tanto no Brasil como no exterior. Cia Boto-Vermelho conta com um total de 35 indicações de prémios nacionais (Coca-Cola, Mambembe, Isnard Azevedo, Blumenau, FETAERJ, ente outros); onde recebeu 32.

 

WEB SITE: www.ciabotovermelho.net