O Soldadinho de Chumbo

nov. 2017 – mai. 2018

O conto de Hans Christian Andersen, na mão do grande Fernando Gomes, pretende aliar a qualidade da narrativa original a uma curiosa versão livre num musical ambicioso fantástico-cómico!

O Conto

O Soldadinho de Chumbo é um conto de amor que retrata, à maneira “romântica”, a atração dos contrastes- entre um homem melancólico e tímido, soldado de chumbo (sem uma perna e portanto diferente), e uma rapariga etérea, bailarina que vive num castelo de sonhos e o ama apesar de todas as contingências e contrariedades. O amor ingénuo entre o Soldadinho de Chumbo e a Bailarina, tornado impossível à face da inveja do “génio mau” e à indiferença dos humanos em amor possível, nesta versão, transforma-se num happy-end.

Adaptação do conto de HANS CRISTIAN ANDERSEN

Com uma equipa de criativos de excelência esta produção promete ampliar as peripécias do pequeno conto de Anderson e as andanças do soldadinho de chumbo num musical ambicioso fantástico-cómico. Um espetáculo onde se pretende aliar a alta qualidade da narrativa original a uma curiosa versão livre de Fernando Gomes despertando nos adultos as memórias enterradas das histórias infantis, e nas crianças o espanto e a entrega perante a lógica de um mundo imaginário que os surpreende. É raro encontrar na Literatura Infantil um conto que retrate o herói da historia como uma pessoa com deficiência. Naturalmente as crianças demonstram curiosidade em saber o porquê da diferença. Contudo, somos nós adultos que temos dificuldade em dar uma resposta, por mais simples que seja.

Desejamos que o nosso Soldadinho seja (re)montado em tantos outros espaços no nosso quotidiano e quiçá aprendamos a conviver e a respeitar as nossas diferenças!

EQUIPA

EQUIPA CRIATIVA
Texto e encenação: Fernando Gomes
Musica e direção musical: Quim-Tó
Coreografia: Victor Linhares
Cenografia: Kim Cachopo
Figurinos: Rafaela Mapril
Desenho de Luz: João Cachulo

INTERPRETAÇÃO
Anaísa Raquel; Diogo Bach; Henrique Macedo; Kim Cachopo; Maria Curado Ribeiro; Paulo Neto; Tiago de Almeida

FOTOGRAFIAS

Créditos: David Cachopo